Publicações

Na última década, Brasil investiu mais de R$ 187,1 bilhões em energia eólica

Entre os anos de 2011 e 2019, o Brasil investiu mais de R$ 187,1 bilhões na matriz eólica, em valores atuais. O cálculo é da Bloomberg New Energy Finance, ao qual a Folha de S. Paulo teve acesso.

Os investimentos fizeram crescer a participação na produção de energia elétrica no país. Em 2009, a matriz eólica era responsável por 0,5% da geração de eletricidade. Em 2021, a participação chega a 10,7%, segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico).

Os maiores investimentos estão no Rio Grande do Norte. Foram mais de R$ 15 bilhões investidos em parques eólicos no Estado. Atualmente, é o local que mais produz energia com essa matriz no Brasil. São 180 parques, com capacidade de 5.266 MW (megawatt).

O crescimento da matriz eólica no país tem como incentivo a possibilidade de geração de energia elétrica limpa, sem a emissão de gases do efeito estufa. A meta brasileira é zerar suas emissões de carbono até o ano de 2050, conforme anunciou o país em abril, na Cúpula de Líderes pelo Clima.

A matriz foi a fonte com mais vendedores no leilão A-4 de energia nova realizado no dia 8 de julho. Ao todo, 10 empreendimentos fornecerão 167,8 MW de potência.

Na última 2ª feira (12.jul.2021), a geração de energia eólica registrou recorde no Nordeste, com pico de 11.715 MW. O montante é o suficiente para abastecer 106,8% de toda demanda elétrica da região.

A expectativa do ONS é que a participação da matriz eólica chegue ao fim de 2025 em 13,2% de toda a energia gerada no Brasil.

Publicado em 26/07/2021 15:37